Eurico Miranda diminui o Vasco


 Deixando a péssima arbitragem e polêmica fora dos campos de lado, as declarações de Eurico Miranda em sua volta ao Vasco da Gama são para deixar qualquer Cruzmaltino muito ofendido e até diminuído. Um clube com 116 anos de história, campeão de Libertadores, Mercosul, quatro Campeonatos Brasileiros e Copa do Brasil não pode enfrentar um rival e achar que é um campeonato a parte. É saboroso vencer um rival, elimina-lo ainda mais, e eu não tenho dúvidas disto, porém achar que vale título cada vitória sobre ele é diminuir a instituição que defende e pior, afirmar nas entrelinhas que o adversário é maior.

Eurico Miranda sempre afirma que a partida contra o Flamengo é um campeonato à parte e esta no seu direito, porém achar que apenas vencer o rival já pode considerar ''como um título'' é muito confortável de sua parte, pois passa a mensagem que não importa o título do Campeonato Carioca contra o Botafogo, como praticamente afirmou em entrevista neste domingo para a Rádio Tupi:
''O respeito voltou e casaca para todo mundo. Já ganhei o campeonato contra o Flamengo. Ganhei do Flamengo. É campeão. Título à parte'', comemorou Eurico com euforia, questionado sobre a final do Botafogo, respondeu: ''Isso fica para depois'', sem dar muita importância.

Repito, sem querer ser chato, Eurico pode achar o máximo ganhar do Flamengo, mas os jogadores do Vasco precisam ter em mente que este não é o único objetivo, não pode achar que após eliminar um rival que não jogou bem durante todo o ano é motivo de festa e já justifica um trabalho. Peço sorte ao Vasco da Gama para não se apequenar com metas e declarações tão pequenas como esta do ultrapassado Eurico Miranda.

O primeiro grande passo do ''Novo'' Palmeiras


 O Palmeiras de 2015 é totalmente diferente dos últimos anos e todos já estão cansados de saber disto, não é somente as 20 contratações, mas também a torcida, esta que tanto sofreu e apoiou nos últimos anos agora está sendo recompensada. Ok é só um Campeonato Paulista, e também é verdade que o título ainda não foi conquistado e existe uma final pela frente, porém o Palmeirense mudou junto com o time e o primeiro grande passo da ''Versão Alviverde 2015'' foi a vitória sobre o Corinthians em plena Arena.

Numa partida iluminada de Fernando Prass, que conseguiu defender um chute indefensável para goleiros 'comuns' em cobranças de pênalti e com jogadores que não se abalaram após a virada corintiana, a vaga na final foi merecida. E a classificação veio com direito a comemoração do time com sua pequena parcela de torcida num estádio lotado de corintianos, algo mais saboroso para este momento Palmeirense? Não.

A festa foi na Arena Corinthians, a vitória foi numa disputa de penalidades dramática após um jogo equilibrado. E o primeiro grande passo do novo Palmeiras foi dado, resta saber se este novo time irá continuar respondendo ao apoio que vem recebendo de sua torcida.


Fora Luxemburgo! Fora Marcelo Oliveira! Fora todo mundo!


 No começo dos estaduais estão todos com saudades de seus times, logo nas primeiras rodadas o futebol ruim contra clubes menores é tolerado, afinal ''estamos somente no inicio da temporada'', porém quando a partida é decisiva e o adversário no mata-mata é um grande rival, os torcedores se exaltam. Logo após a eliminação do Flamengo diante do Vasco pelo Campeonato Carioca e a do Cruzeiro diante do Atlético-MG no Campeonato Mineiro, para a minha surpresa os cargos de Vanderlei Luxemburgo e Marcelo Oliveira já eram questionados. Algo totalmente precipitado.

É evidente que o Flamengo não está jogando um bom futebol, e em todo o Campeonato Carioca a melhor partida foi somente o clássico diante do Fluminense e nada mais. Luxemburgo está escalando um time ''operário'', com muitos volantes para proteger os homens de muita velocidade que tem a disposição no ataque. Além do Fla ainda precisar de reforços, o clube não está sozinho, pois são poucos os clubes brasileiros que vem jogando um futebol verdadeiramente convincente.

O Cruzeiro mudou de time completamente, perdeu os principais jogadores que levaram a equipe ao bi-campeonato brasileiro e está em reconstrução, não deverá ser uma derrota para o Atlético-MG e um futebol que ainda não encaixou que deverão fazer Marcelo Oliveira ter sua competência questionada.

Estamos no quarto mês do ano e os torcedores já estão com suas cornetas afiadas exageradamente, depois não adianta chamar dirigente de amador por demitir um técnico a cada três semanas.

A final dos sonhos da FERJ


 Não há dúvidas que o Campeonato Carioca 2015 está sendo diferente, o rompimento de Flamengo e Fluminense com a FERJ e a aproximação de Vasco e Botafogo com a federação criou um clima diferente, principalmente de desconfiança com os times Alvinegros. A falta de qualidade de toda a competição é inquestionável, porém Rubro-negros e Tricolores reclamam principalmente das penalidades marcadas a favor do Vasco ainda na fase de classificação, além de punições dignas de uma ditadura contra Luxemburgo e Fred.

Neste final de semana uma nova polêmica, as partidas de semifinal, onde os Tricolores reclamaram do gol irregular de Rodrigo Pimpão, do Botafogo, que ajudou na construção do 2 a 1 que levou a partida para as penalidades. Neste domingo foi a vez dos Rubro-negros reclamarem da arbitragem, a penalidade a favor do Vasco foi totalmente inexistente, assim como na comemoração o atacante Gilberto deveria ser expulso como consta no regulamento e novamente não ficou barato, as criticas e dúvidas novamente vieram.

Seria aquela ''paixão que cega'' dos torcedores do Fluminense e Flamengo que veem um complô contra os times que se ''rebelaram'' contra a Federação?
Ou infantilidade dos torcedores de Botafogo e Vasco que acham que os erros ''são apenas do jogo'', o choro é livre e bola para frente?
Sinceramente não tenho respostas concretas para estas duas perguntas, erros já aconteceram para Fla e Flu assim como para Vasco e Bota neste campeonato estadual, porém a relação entre Rubens Lopes e Eurico Miranda e o rompimento com a dupla Fla-Flu só aumenta as dúvidas e desconfiança sobre uma federação que não é nada confiável.

O fato que mais uma vez venho constatar é que os estaduais do jeito que estão são insustentáveis, principalmente quando ainda existem dirigentes dispostos a ficar mais próximos de alguns e mais rigorosos com outros. A final do Campeonato Carioca é aquela que a FERJ pediu a deus, porém a Federação não é maior do que os clubes que disputam, que já cansaram da falta de seriedade da mesma. No roubo? Não sei, mas não se pode abrir brechas para se pensar que os erros de arbitragem não foram simplesmente pelos juízes serem ''humanos''.

Há coisas que só acontecem ao Botafogo, inclusive uma classificação histórica


 Se o Fluminense chegasse na final do Campeonato Carioca a sensação de superação não chegaria perto da botafoguense, assim como Flamengo e Vasco não irão sentir. O Botafogo caiu de maneira dramática em 2014, foi vice-lanterna do Brasileirão e sofreu um verdadeiro desmanche nas semanas seguintes, jogadores importantes saíram, não havia dinheiro no cofre do clube após a gestão desastrosa de Mauricio Assumpção, o time chegou ao Campeonato Carioca como uma incógnita, não sabia o que se esperar de um elenco totalmente novo com um técnico que não comandava um grande time a muito tempo e já estava praticamente aposentado. Era uma reconstrução.

O Botafogo jogou o Campeonato Carioca com uma raça com que se joga uma Libertadores, e com um time fraco tecnicamente foi campeão da Taça Guanabara e comemorou como um título brasileiro, o que pode ate ser chacota para os rivais, porém importantíssimo para o Alvinegro da Estrela Solitária, era o simbolo que o time ainda poderia incomodar e fazer os rivais afirmarem ''Eu não queria mesmo''. Flamenguistas, Vascaínos e Tricolores que sem danem, pensava o botafoguense. Os comandados de René Simões chegaram a final e dominaram a primeira partida, porém não aproveitaram as chances e o Flu levou a melhor com um 2 a 1 no Maracanã. Golpe duro para uma equipe que está em reestruturação.

No meio de semana enfrentou um xará abusado, que não cedeu a eliminação facilmente, e um 3 a 2 dramático que levou o time carioca a segunda fase da Copa do Brasil... Até que chegou o sábado dia 18 de Abril, e o time dominou somente nos primeiros 30 minutos, tempo que conseguiu marcar com Rodrigo Pimpão(em lance irregular) e Bill. O cansaço começou a pesar e o Fluminense se animou, descontou numa penalidade imprudente do goleiro Renan. Jean mandou para as redes e o Botafogo mais uma vez começou a sofrer.

O segundo tempo foi todo do Fluminense, a torcida tricolor começava a ficar esperançosa com uma final, enquanto o botafoguense via os seus 'guerreiros'' caindo no campo de batalha a cada instante. Foram diversos jogadores sentindo a musculatura e René Simões sem opções de substituição, já havia feito as três. E o drama seguiu, o Flu martelava e não conseguia marcar, a inexperiência das promessas de Xerém pesou, e o time do Flu parecia pensar ''Onde esta o Fred para decidir''? ele não estava lá, foi punido injustamente e a responsabilidade era dos tricolores em campo, que não conseguiram fazer o 2 a 2 e a partida foi para os pênaltis com um cenário no minimo curioso. Eram os jogadores experientes e com um enorome desgaste físico contra as jovens promessas.

E foram necessárias 22 cobranças de pênalti para sabermos quem seria o grande finalista. Após as cinco primeiras cobranças empatadas e as alternadas em que ninguém perdeu, chegou a vez dos goleiros, o jovem Renan de um lado e o Cavalieri do outro. O defensor do Fluminense isolou a bola e a responsabilidade restou, não para as mãos como é de costume, e sim para os pés de Renan, que não desperdiçou e pôs o Botafogo na final do Campeonato Carioca 2015.

Classificação histórica para o momento em que vive o Botafogo, que caiu e tenta se reerguer com um título que será delicioso para o botafoguense, mas antes precisa conter a euforia e o oba-oba que será criada pela imprensa nesta semana, ainda existem duas partidas, 120 minutos para o botafoguense continuar sofrendo e terminar como campeão ou vice-campeão carioca. Após passar pelo Fluminense, que tem uma equipe superior tecnicamente, o Botafogo mostra que com o espirito criado dentro de campo pode voltar a elite do futebol brasileiro como um verdadeiro grande.


Barcelona e Real Madrid vencem e disputa pelo título espanhol continua acirrada


 Em mais uma temporada o título espanhol será disputado entre Barcelona e Real Madrid. Nas próximas seis rodadas, os comandados de Luis Enrique tentarão manter ou aumentar a distância de dois pontos na liderança, enquanto o Blancos tentam alcançar sem ter um confronto direto. Neste sábado, ambos os times jogaram em casa e venceram, com gols de Suárez e Messi, o Barça venceu o Valencia num jogo difícil e importante para manter o bom momento. O Real bateu o Málaga por 3 a 1, com gols de Sergio Ramos, James Rodrigues e Cristiano Ronaldo. Juanmi descontou para os visitantes.

Os três pontos foram importantíssimos para ambos os times, já que na próxima terça-feira o Barcelona tem a partida de volta das quartas de final da Uefa Champions League diante do Paris Santint-Germain no Camp Nou. Assim como o Real Madrid, que mede forças diante do rival Atlético para tentar chegar mais uma vez às semifinais, o jogo será no Santiago Bernabéu.

Na corrida pelo título do Campeonato Espanhol, o Barcelona terá pela frente: Espanyol(Fora), Getafe(Casa), Córdoba(Fora), Real Sociedad(Casa), Atlético de Madrid(Fora) e por fim o Deportivo La Coruña em casa. O Real Madrid irá enfrentar nas próximas seis rodadas: Celta de Vigo(Fora), Almería(Casa), Sevilla(Fora), Valencia(Casa), Espanyol(Fora) e por fim o Getafe em casa... Analisando os dois caminhos 'até o título', o Barcelona tem uma pequena vantagem, pois o único adversário que pode dar dor de cabeça é o Atlético de Madrid, enquanto o Real enfrenta Valencia e Sevilla, dois times que brigam por vaga na Champions League. As próximas semanas na Espanha prometem!!!


José Mourinho, amado e odiado mas pragmático


 Neste sábado no Stamford Brigde vimos mais uma demonstração de José Mourinho, o técnico português de 52 anos que é o preferido dos jogadores na Inglaterra apesar de seu ego gigantesco. O Manchester United teve 70% de posse de bola e mais chances de gol, mas o Chelsea marcou o 1 a 0 ainda no primeiro tempo e conseguiu resistir, com este pragmatismo de Mourinho, os Blues são lideres e poderão ser campeões antecipados da Premier League nas próximas partidas.

E esse Chelsea é o simbolo do Mourinho, quando é possível golear um pequeno ou um grande 'abalado' o time faz o seu papel, porém quando o pequeno pode criar maiores dificuldades e o grande busca o empate, a missão é segurar o placar minimo favorável, mesmo que seu time tenha jogadores como Courtois, Azpilicueta, Terry, Cahill, Ivanovic, Matic, Zouma, Hazard, Fábregas, Oscar e Drogba, além daqueles não presentes nesta partida diante dos Red Devil's, como Diego Costa, Willian e Cuadrado.

O preço para este jogo muitas vezes 'feio e eficiente' mesmo tendo em suas mãos os maiores craques da Europa é ter sete campeonatos nacionais no Velho Continente, duas Champions League e quatro Copas Nacionais. Mourinho já treinou o Benfica, União de Leiria e começou a se destacar como o ''The Special One'' no Porto entre 2002 e 2004, onde conseguiu virar ídolo e ir para o Chelsea em 2004(onde ganhou o apelido citado, que pode ser traduzido como: ''O melhor'', ''O especial'' ou ''O número um''), onde também virou ídolo. Em 2008 chegou a Internazionale de Milão e em 2010 no Real Madrid, onde foi mais questionado em sua carreira por não conseguir conquistar a ''La Décima'' Champions League para o time Merengue. Em 2013 voltou para o Chelsea onde permanece até hoje com sua maneira amada, odiada e principalmente pragmática de comandar suas equipes.

Barcelona vence o PSG em Paris e encaminha vaga à semi


 Nesta quarta-feira o Barcelona mostrou que não é mais tão dependente de Lionel Messi, o atacante argentino ainda é o jogador mais importante do elenco, porém Neymar e, principalmente, Luis Suárez vem crescendo de produção a cada partida vestindo a camisa do time catalão. Melhor para o Barça, que chegou ao Parc de Princes e conseguiu dominar o Paris Saint-Germain criando as melhores chances e mostrando um futebol coletivo que pode resultar na conquista do quinto título da Champions League.

Neymar abriu o placar após uma bela assistência de Messi e Suárez marcou os outros dois gols, vencendo uma verdadeira 'batalha' contra a defesa dos donos da casa e com direito a duas canetas em David Luiz. Van der Wiel descontou e conseguiu conquistar um 'fio de esperança' para o time francês, que terá que vencer por 2 a 0 no Camp Nou para chegar as semi-finais da Uefa Champions League.

Campeonato brasiliense 2015 prova como o Mané Garrincha é um elefante branco de quase dois bilhões


 A expressão ''Elefante Branco'' veio do Reino de Sião, atual Tailândia, segundo o livro 'O Bode Expiatório' de Ari Riboldi. O elefante naquela cor era raro na região e considerado um animal sagrado, quando se encontrava uma destas espécies raras deveria ser imediatamente dada ao rei. Se algum dos cortesãos desagradasse o rei seria presenteado com o raro animal. O presente não poderia ser recusado e nem repassado a outra pessoa, e a obrigação do pobre coitado 'felizardo' era cuidar do elefante e mante-lo com excelência, sendo que iria consumir grande parte de seu tempo e se tornar um verdadeiro inferno, pois não traria retorno. Pois bem, os cortesãos são os cidadãos brasileiros, estes presenteados com diversos elefantes brancos que tiveram uma única utilidade durante menos de dois meses de Copa do Mundo de 2014.

A Arena Amazonas(Manaus), Arena Pantanal(Cuiabá) e Mané Garrincha(Brasilia), são os enormes elefantes brancos deixados de 'legado' para sua população após a ''Copa das Copas'', como os marqueteiros do governo federal insistiam em anunciar, e de fato foi um ótimo mundial dentro de campo, imensamente superior ao de 2010, mas quando se trata de legado, carro chefe das propagandas para a população, podemos considerar sem dúvida alguma um colossal fracasso.

Neste post vamos falar especificamente da capital federal, que tem um estádio com capacidade para 72 mil pessoas, mas uma média de público de campeonato estadual pífia. Somando o público de todos os 65 jogos realizados no campeonato chegamos a um número assustador, apenas 18.940 pessoas foram ao estádio, número insuficiente até para lotar o anel inferior do Mané Garrincha, ocupando apenas 26% do estádio.

O problema do campeonato brasiliense é ainda maior, pois envolveu problemas judiciais que impediram a Federação Brasiliense de Futebol de agendar partidas em 10 estádios locais por irregularidades. Em fevereiro deste ano a federação conseguiu o aval de mandar jogos nos estádios Bezerrão e Serejão, porém com os portões fechados por questões de segurança. São diversos fatores que contribuem para o número negativo.

Os semifinalistas do Campeonato Brasiliense são: Gama, Brasiliense, Brasília e Luziânia, nenhum destes estão sequer na Série C do Campeonato Brasileiro, como o Mané Garrincha será aproveitado? Chamando eternamente o Flamengo, Cruzeiro, Vasco, Corinthians e outros clubes da Série A para jogarem no estádio duas ou três vezes ao ano? Esperando a pré-temporada dos grandes clubes para ter um amistoso internacional? Esperando o governo do DF dar mais 20 mil ingressos e isenção para lotar uma partida de final de campeonato, como fez o ex-governador Agnelo Queiroz(PT)?


Em entrevista ao Correio Brasiliense no final de 2013, Agnelo Queiroz, no centro da imagem acima, afirmou sobre o Mané Garrincha: ''O estádio é um êxito de realização, de competência, um exemplo de como fazer benfeito e no prazo, cumprindo um compromisso internacional que o Brasil assumiu. Fizemos uma grande obra, temos o estádio mais moderno do Brasil e um dos três melhores do mundo''.

Sobre o Mané Garrincha ser considerado um elefante branco antes mesmo de sua inauguração, o ''competente'' Agnelo Queiroz respondeu: ''Não estou vendo mais críticas. A crítica não era nem por má-fé, era por ignorância mesmo. As pessoas não sabiam o que significava um equipamento desses para a capital e não pensavam na importância de inserir Brasília no cenário nacional e internacional. A cidade tem renda para ter eventos permanentes, tem público. Já ultrapassamos mais de 600 mil pessoas em eventos esportivos e shows''.

Pois bem, o ignorante(ou mentiroso) nesta história era o ex-governador do Distrito Federal, que deixou 1,9 bilhão de reais para o brasiliense pagar, uma divida que só deverá ser paga em mil anos.


Se você não prestou atenção na capacidade de público do Mané Garrincha no inicio do texto eu repito: 72 mil. Isso mesmo, não se assuste, capacidade exagerada para comportar Brasilia, Gama, Brasiliense entre outros clubes de pequena expressão do DF(levar uma partida para o Mané Garrincha também não é muito interessante para estes clubes). A capacidade do estádio de Brasilia é maior que da Arena Corinthians(61.606), Mineirão(58.170) e Beira-Rio(51.300), estádios situados em estados muito mais tradicionais no futebol que o Distrito Federal. Ainda resta alguma dúvida do imenso elefante branco que o Mané Garrincha é desde seu projeto?

O Cruzeiro parou no Huracán e terá partida crucial pela Libertadores na terça-feira


 O Club Atlético Huracán tem 106 anos de poucas glorias, sua torcida é relativamente numerosa em Buenos Aires e pouco presente em outras cidades argentinas, o time tem apenas 5 campeonatos argentinos, sendo o último conquistado a mais de 40 anos, em 1973. Se compararmos ao Cruzeiro vemos um clube significadamente menor, com elenco visivelmente inferior e uma estrutura que não chega aos pés do clube mineiro, porém era o dia deles, que com um time 'encaixado' venceram bem.

No campeonato argentino o Huracán tem apenas 7 pontos em nove partidas, assim amarga a vigésima quarta colocação da competição, que agora tem trinta clubes. Na Libertadores da América, os ''Quemeros'' conseguiram seus primeiros três pontos no Grupo 3, antes disso o time havia empatado todas as partidas e agora consegue chegar a última rodada com chances de classificação. O jogo desta terça-feira, mesmo fora de casa, parecia favorável a pelo menos um empate dos comandados de Marcelo Oliveira, porém 'a zebra' apareceu diante do time celeste.

O futebol apresentado pelo Cruzeiro no estádio El Palacio foi muito abaixo da média, falhas foram cruciais para Mancinelli e Abila(duas vezes) construírem o 3 a 1. Leandro Damião diminuiu de penalidade quando o placar ainda estava 2 a 0. Os argentinos foram para cima dispostos a fazer o que não conseguiram durante as outras partidas, e encontraram mais facilidade do que o esperado diante da Raposa.

Este futebol não pode se repetir na próxima terça-feira no Mineirão, quando o Cruzeiro enfrentará o Universitario de Sucre dependendo apenas de si mesmo para chegar às oitavas, se tropeçar poderá ser ultrapassado pelo próprio Huracán, que enfrentará o já desclassificado Mineros fora de casa. Antes o time celeste terá outra pedreira, pois tem clássico diante do Atlético-MG pelas semifinais do estadual, semanas difíceis que podem levar o ''Cruzeiro versão 2015'' ao céu ou ao inferno.

Atlético segura o Real no primeiro tempo, pressiona no finalzinho mas o clássico termina no zero


 Partida de ida das quartas de final da Uefa Champions League, no Vicente Calderón acontecia mais uma ''guerra'' no clássico de Madrid com dois times com propostas de jogo totalmente distintas. Como já é de costume, o Real Madrid de Carlo Ancelotti tentava criar chances, dominar a partida e jogar um futebol ofensivo sempre com mais volume. O Atlético de Madrid, como também já é de costume, tentava destruir o bom futebol do rival, tornando os 90 minutos de partida uma batalha e os jogadores gladiadores, para numa bola parada sair da defesa e acabar com a alegria do rival, esta estrategia ate tem funcionado a favor dos comandados de Diego Simeone nos últimos clássicos, mas não nesta terça-feira.

Os primeiros quarenta e cinco minutos de partida foram todos do time merengue, que criava chances com frequência e ficou muito próximo de abrir o marcador, porém pararam na defesa colchonera. A segunda etapa foi mais equilibrada, com os donos da casa tentando aproveitar o famoso 'abafa' no final da partida, junto com sua apaixonada e barulhenta torcida, não conseguiram mexer no 0 a 0 apesar de toda a pressão e a definição dos semifinalistas ficará para a próxima semana, desta vez no Santiago Bernabéu.

E houve muita emoção na definição dos semifinalistas do Campeonato Carioca


 Flamengo, Botafogo, Vasco e Madureira, estes seriam os clubes classificados antes da última rodada da Taça Guanabara, porém o detalhe que deixava a décima quinta rodada mais interessante parecia ser somente o confronto do menor dos quatro, que iria tentar segurar sua quarta colocação diante do Fluminense, quinto colocado e que precisava de uma vitória para chegar a fase final.

E após quinze rodadas de poucas emoções, com clássicos mornos e uma enorme parcela de partidas sem sal, justamente no fim da Taça Guanabara os times deram um gostinho do que esperamos ser as semifinais e a decisão.

Em campo estavam simultaneamente se enfrentando Botafogo e Macaé, Flamengo e Nova Iguaçu, Fluminense e Madureira e por fim Vasco e Volta Redonda, a partida com menos importância e com o placar mais elástico, goleada Cruzmaltina por 4 a 1. O Alvinegro da estrela solitária ainda tinha chances de conquistar o título do primeiro turno, precisava de uma vitória e de um tropeço do Rubro-negro carioca, que ficou apenas no 0 a 0 contra o Nova Iguaçu, em 90 minutos em que os jogadores flamenguistas pressionaram na esmagadora parte do tempo e não balançaram as redes, com Alecssandro e Eduardo da Silva dando uma aula de como finalizar de todas as maneiras de dentro da área e não marcar.

Neste meio tempo o Fluminense sofria com o Madureira, o Tricolor abriu o placar mais viu a zebra empatar a partida aos trinta do segundo tempo e a classificação para a fase final veio de maneira inesperada, com um gol contra apenas aos quarenta e quatro, no sufoco.

No Moacyrzão o placar continuou zerado, o resultado foi ruim tanto para o Fla quando para o Nova Iguaçu, o segundo que foi rebaixado. O Botafogo esperou o 0 a 0 acabar para poder comemorar o título, com a vitória por 1 a 0, os comandados de René Simões conquistaram a Taça Guanabara e enfrentam o Fluminense nas semifinais nos próximos dois sábados, com a vantagem do empate por estar na frente na tabela. Já o Flamengo enfrenta o Vasco da Gama nos próximos dois domingos, os comandados de Vanderlei Luxemburgo também tem a vantagem do empate pela posição superior ao rival na classificação.

Foram momentos de emoção na última rodada da Taça Guanabara, espero que a fase final também corresponda as expectativas.

O Fla-Flu com vitória Rubro-negra e os protestos contra a FERJ


 O clássico prometia, Flamengo e Fluminense sempre proporcionam noventa minutos que chamam atenção, porém tecnicamente o jogo foi fraco e venceu o time que criou melhores chances. O Maracanã estava lotado e o protesto no inicio da partida mostrou a insatisfação dos rivais e motivação de ambos diante de uma causa, mudança no modo em que a FERJ conduz sua relação com alguns clubes e a punição injusta a Vanderlei Luxemburgo, que mesmo sendo técnico do Rubro-negro carioca, foi defendido pelos jogadores do Flu.

Dentro de campo um jogo que não empolgou muito, o Flamengo criou as melhores chances por ter um elenco entrosado e uma base já estabelecida, e o Fluminense não vez grande coisa, ameaçou em lances isolados mas sem causar grandes sustos. Diego Cavalieri foi o destaque, de maneira negativa, pelas falhas que cometeu nos gols do time Rubro-negro, estava adiantado no chute de Jonas de fora da área, ainda no primeiro tempo e já na segunda etapa foi enganado pelo drible de corpo de Alecsandro no segundo gol e não defendeu o chute de Matheus Sávio.

Outro destaque negativo da partida foi a falha de Wagner do Nascimento Magalhães na expulsão de Fred, quando não marcou a falta de Anderson Pico sobre o centroavante e acabou dando segundo amarelo após uma queda exagerada e um toque de mão(enquanto caía) do jogador Tricolor. O lance deixou um Flu que já não tinha criatividade e bom futebol, ainda mais sem rumo.

O Flamengo que já jogava melhor e vencia por 1 a 0 fez 3 a 0 e poderia ter feito 5 ou 6 a 0 sem grandes dificuldades. Não podemos colocar o resultado na conta do juiz, mas num momento em que o Flamengo perdeu Luxemburgo antes do clássico pelo técnico ter exercido o direito de dar sua opinião, e que Fred(líder importante no time Tricolor) foi expulso de maneira equivocada, é obvio que as reclamações não serão poucas não somente contra a arbitragem mas também contra a FERJ, que foi xingada pelas duas torcidas no Maracanã e massacrada pelos presidentes de Fla e Flu antes da partida. Os rivais estão juntos fora de campo contra a Federação, que ao seu lado tem Botafogo e, principalmente, o Vasco, o Campeonato Carioca ferve no campo politico e continua monótono dentro das quatro linhas, vamos esperar...


E o Corinthians continua sobrando em 2015


 O time brasileiro que mostra o melhor futebol neste ano de 2015 é o Corinthians, que de maneira inquestionável passou por cima do Once Caldas na primeira fase da Libertadores, venceu todos os clássicos que disputou no Campeonato Paulista e mantém uma impecável campanha com 100% de aproveitamento na fase de grupos da competição sul-americana, além de ser o melhor time do estadual. Corinthians e Tite vivem mais um momento cheio de alegrias, e vive uma verdadeira 'Lua de Mel' com a torcida, que pôde gritar 'Olé' no inicio do segundo tempo com o placar de 4 a 0 a seu favor.

Paolo Guerrero marcou três vezes depois de Jadson inaugurar o placar numa linda cobrança de falta, o time demonstrou dedicação a sua apaixonada torcida e continuava querendo fazer gols e marcando forte mesmo aos 47 do segundo tempo. Numa noite de bom futebol e muita objetividade, o Corinthians mais uma vez deu show, desta vez contra o time mais fraco do Grupo 2, em 90 minutos perfeitos para fazer bom saldo de gols e pontuar, os comandados de Tite não desperdiçaram sua chance e fizeram mais que o dever de casa.

Onde está o São Paulo vice-campeão brasileiro?


 A temporada 2015 parecia ser promissora para o São Paulo, enquanto o Corinthians chegava no novo ano após demitir o técnico Mano Menezes e tentar novamente a ''sorte'' com Tite, o Palmeiras acabava de passar por um imenso sufoco contra o rebaixamento e o Santos acabara de fazer mais um Brasileirão mediano, e o Tricolor Paulista chegou a almejar o título após vencer o Cruzeiro no Morumbi, mas onde está aquele time? Creio que apenas Kaká não faria um time chegar a ser vice-campeão brasileiro, assim como Osvaldo, Álvaro Pereira e Maicon não teriam o poder do mesmo. Então qual é o problema?

Um dos maiores ídolos da história do clube, se não o maior, adiou sua aposentadoria para poder defender o time por mais seis meses e disputar uma Libertadores, quem sabe sentir o gosto de conquista-la mais uma vez. Porém se o futebol do Tricolor Paulista continuar deste tamanho creio que até a conquista do Campeonato Paulista é improvável.

Nesta quarta-feira, o adversário foi o San Lorenzo na Argentina e o time perdeu mais uma vez jogando um futebol meia-boca, o time parece estar numa crise interna, Muricy visivelmente não deixa o clube para não magoar a torcida que tanto admira e sair do São Paulo que lhe formou, assim como a diretoria não o demite para não agravar o momento que já é ruim ao mandar embora um ídolo. O fato é que me pergunto, onde está o São Paulo vice-campeão brasileiro e um dos favoritos a ser o principal clube do Brasil em 2015? Nos primeiros quatro meses do ano ainda não houve uma demonstração do que este time prometia ser.

E o problema não é só do Ganso não correr ou o Pato continuar apático(como comentei em um post separado), o time parece estar sem vontade, parece estar incapacitado de lutar para vencer as partidas. Vamos esperar o futebol tão sonhado pela torcida Tricolor aparecer nos próximos meses de 2015, de preferência quando o time ainda tiver chance de conquistar títulos.

Alexandre Pato, o apático


 Não tenho dúvida e nem medo de afirmar que Alexandre Pato é o jogador com mais qualidade técnica que atua no Brasil, o problema é aquele algo a mais que o jogador não consegue dar. Antes era a condição física e agora é a vontade de jogar bola, não conheço o atacante pessoalmente para afirmar se ele gostaria de ser engenheiro, médico, advogado, árbitro, policial, bombeiro, politico, professor ou critico de cinema, mas a impressão que Alexandre Pato passa ao entrar em campo é que o mesmo é um poço de qualidade desperdiçada, que ele está ali por obrigação e não por gostar da profissão, que entra em campo pois tem um contrato e pressão de familiares e empresário para estar ali e só. Perguntado qual era seu sonho, o mesmo já respondeu que era ''Pisar no tapete vermelho do Oscar'', o que convenhamos não costuma ser algo comum entre jogadores e sim atores.

A impressão que tenho ao ver Alexandre Pato é de total desinteresse com o jogo, não vejo como um desrespeito ao São Paulo assim como não era com o Corinthians ou Milan, mas sim uma característica do jogador, que é a frieza de uma maneira exagerada, talvez a falta de noção do que representa e da paixão de milhões que carrega ao vestir a camisa de um clube, seja ele qual for.

O problema de contusões que não deixava jogar duas partidas seguidas no Milan já foi 'aliviada', Pato consegue ter sequencia de jogos mas não convence mesmo sendo o artilheiro do time nesta temporada. Fazer três gols contra Mirassol e Linense pelo Paulista ou decidir uma partida contra um clube que é lanterna do grupo e sem grande expressão pela Libertadores não é suficiente para um jogador do nível e expectativa que se tem por ele. A partida diante do San Lorenzo seria o momento perfeito para Pato calar a boca de seus críticos(eu me incluo nestes), porém mais uma vez não foi o dia dele, como raramente é, o torcedor são-paulino é obrigado a se contentar com alguns lampejos de seu futebol. Mais uma vez Alexandre Pato foi apenas um espectador dentro de campo.

O que Fabrício fez com a torcida do Internacional é motivo para nenhum outro clube brasileiro contratá-lo


 Estava assistindo San Lorenzo e São Paulo pela Libertadores quando resolvi passar pelas redes sociais e me deparei com algo no minimo, para ser breve, desrespeitoso. Na partida entre Internacional e Ypiranga, pelo Campeonato Gaúcho, o lateral Fabrício se irritou com a torcida do Inter e abdicou da jogada para desabafar pelas vaias recebidas pelo mal futebol da equipe.

Se as reclamações da torcida eram justas ou não é outro assunto, o que me assustou foi a reação infantil e desprezível de Fabrício, que deixou a jogada de lado para xingar a torcida e fazer gestos obscenos contra a mesma, chegando a jogar a camisa no chão como forma de desprezo a história centenária do Sport Club Internacional.

Não sou Colorado, e nem precisaria ser, basta ser amante de futebol e conhecedor da história e tamanho dos clubes brasileiros para entender que este gesto é de tamanho desprezo e falta de noção do jogador para nos deixar indignados e acabar com qualquer resquício pelo jogador. Ao lado do lateral estavam nomes como o zagueiro Juan, que já defendeu a Seleção Brasileira em Copa do Mundo e D'Alessandro, o argentino que é ídolo da torcida e tem seu nome marcado na história vitoriosa do clube, ambos muito experientes e vencedores, assim como alguns companheiros tentaram conter a fúria de Fabrício, que descontrolado tentava sair e xingar ainda mais os torcedores do Inter.

Constrangido com a situação proporcionada pelo companheiro, D'Alessandro, ídolo e capitão do time, tentou se desculpar com a torcida pelo ocorrido. A carreira de Fabrício fica seriamente ameaçada, se fosse o presidente do Internacional rescindiria o contrato na noite desta quarta-feira e avisaria ao jogador na reapresentação, atleta este que não é nem um garoto e que aos 28 anos já deveria ter aprendido que ele não é maior que o Internacional, e que com esta falta de bom senso e respeito com a instituição que defende não deve ter mais a confiança de qualquer torcedor.

Considerando que o jogador vai sair do Inter, como o mesmo fez questão de afirmar em sua patética saída de campo, nenhum outro dirigente de clube com o minimo de noção deveria pensar em contratá-lo, ou terá um jogador que não tem respeito a instituição e é uma bomba relógio prestes a explodir.  

Os péssimos estaduais precisam mudar


 A cada ano que passa os estaduais vão ficando mais chatos, sofríveis, entediantes, ruins, insuportáveis e insustentáveis, por serem competições tradicionais existe um medo de acabar de vez com elas ou mesmo reformula-las completamente, porém alguma coisa precisa ser feita ou o estádio só estará lotado e os torcedores empolgados em três ou quatro partidas por competição, que são nos clássicos.

Os clubes que participam tem prejuízo, a TV cada vez mais perde audiência e os torcedores não estão dispostos a pagar mais de 15 ou 20 reais para assistir um Fluminense x Barra Mansa. Vou usar o Campeonato Carioca como grande exemplo do enorme fracasso e prejuízo que os estaduais vem se tornando. Da primeira à oitava rodada da competição, foram realizadas 64 partidas, 70% terminaram com prejuízo para o mandante.

Então você se pergunta, se a TV perde audiência, os clubes sofrem financeiramente e os torcedores não se importam como antes; Quem lucra com os estaduais? Simples, as Federações! O caso mais absurdo é da própria FERJ, que nas oito rodadas citadas embolsou R$ 744 mil, pois na maioria das vezes cobra 10% sobre a receita bruta do jogo.

Para acabar com esta competição nenhum pouco atraente precisa de uma maior atenção dos presidentes dos clubes, que raramente contestam o regulamento e a própria competição em si.

Particularmente não sou a favor da extinção dos estaduais mas sim dos mesmos num formato diferente, mais precisamente dividido em grupos pequenos e os clubes de cada chave jogando entre si, os dois primeiros se classificam e começa o mata-mata, o que enxugaria o calendário e daria mais espaço para investir e valorizar ainda mais o Brasileirão, Copa do Nordeste, Copa Verde, Copa do Brasil, Libertadores e outros torneios.

Existe uma outra opção que é pensada pelos clubes, que é a volta de torneios como o Rio-São Paulo, que é uma boa ideia, pois o número de jogos interessantes que um botafoguense(exemplo) iria assistir seria sete e não três, pois são oito grandes que disputam o título e não quatro. 

Enfim, em mais um ano de estadual continuamos com a certeza que eles precisam ser mais enxutos e consequentemente menos cansativos, existe toda uma tradição por trás deles, porém os grandes clubes brasileiros não podem jogar para públicos menores que 10 mil num estádio com suporte para 20 ou 30 mil torcedores este é um dos fatores que leva o futebol brasileiro para um nível cada vez menor.

E a Seleção Brasileira de Dunga vai caminhando...


 Após assumir a Seleção Brasileira num estágio 'pós-apocalíptico', Dunga vem conseguindo achar o seu time ideal nos amistosos, nesta quinta-feira diante da França o Brasil conseguiu proporcionar uma bela atuação fora de casa. 

Não vou mais cobrar a tão falada 'reformulação tática' da Seleção e futebol brasileiro após o desastroso 7 a 1, quem pôs o Dunga no comando da Seleção deveria saber que ele não era o nome, mas o técnico recebeu o convite e aceitou, por isto este assunto não merece voltar a pauta e sim o trabalho dele daqui em diante, este que dentro de suas características vai indo bem.

O Brasil continua dependente do talento de Neymar, isto é obvio, mas novos nomes como Roberto Firmino e Philippe Coutinho(que não jogou nesta quinta) podem formar uma parceria interessante com o jogador do Barcelona, jovens e habilidosos, com uma defesa segura podem fazer 'estragos'.

Avaliar friamente e detalhadamente um time em formação não me parece justo, mas o que penso é que esta Seleção de Dunga vai muito bem, já venceu a Argentina e agora a França, em amistosos é verdade, mas o time precisa ser testado e vencer contra as grandes Seleções e não contra o Zimbábue ou Egito, por isto a Seleção de Dunga vai caminhando... Rumo a mais uma conquista da Copa América? A medalha de Ouro nas Olimpíadas do Rio? A mais uma enganosa conquista de Copa das Confederações? Ao Hexa na Rússia? Isto eu não sei, mas o bom futebol apresentado é incontestável.

Mais uma da ESPN Brasil! Repórter tenta dar ''lição de moral'' a torcedor Ao Vivo


 A ESPN Brasil nunca cansa de se superar... Imagine um mundo onde o Tricolor não pode chamar o Flamenguista de ''Mulambo'', onde o Corintiano não pode chamar o São-Paulino de ''Bambi'' ou o Atleticano não pode chamar o Cruzeirense de ''Maria'', ou qualquer apelido do mundo do futebol em que o torcedor se dirige ao adversário com o objetivo de zoar e tirar saro do mesmo. Imagina um mundo onde a mãe do árbitro seja caracterizada como outra qualquer ou mesmo em que os jogadores seguem um scrip no momento das entrevistas(isto os ''politicamente corretos'' já conseguiram).

Pois bem, a repórter da ESPN Brasil proporcionou nesta quarta-feira um momento no minimo constrangedor, para os dois lados, pois tentou dar um lição de moral ao torcedor palmeirense ao qual entrevistava interrompendo-o no momento que afirmou que queria ganhar ''das bicha'' se referindo ao São Paulo, Gabriela perguntou a idade do torcedor e afirmou que ele precisava se modernizar e parar de usar termos ''homofóbicos''. O torcedor ficou sem jeito no momento, e não é para menos, acabara de levar uma bronca em rede nacional, não esperava ser condenado pelo simples ato de ser um torcedor comum, não tentar passar um boa imagem de si próprio e apenas ser ele mesmo.

Conheço a Gabriela Moreira por suas ótimas reportagens investigativas no mundo do esporte, principalmente quando trabalhava no Rio de Janeiro, talvez quando chamou o torcedor palmeirense esperasse uma declaração como: ''Vamos ganhar dos excelentíssimos Tricolores, com todo respeito a eles, espero que o Palmeiras ganhe apenas de 1 a 0, para não ficarem muito chateados''. Enfim, o futebol brasileiro já não esta em uma boa fase, querer forçar um futebol politicamente correto é mais um atentado contra nosso querido esporte, salve-se quem puder!

A vitória que faltava, a vitória que muda a moral do Palmeiras


 O Palmeiras passou dez partidas sem vencer um rival, e na noite desta quarta-feira no Allianz Parque os comandados de Oswaldo de Oliveira quebraram essa marca negativa num momento importante, após dezenove contratações o time mudou de cara neste ano e a marca ''conquistada'' por outros jogadores não poderia permanecer, e caiu, logo com um 3 a 0 para cima do São Paulo, mas não foi um ''simples 3 a 0'' e sim um verdadeiro massacre contra o rival Tricolor.

Uma vitória em que a importância vai além dos três pontos ou de jogar ou não em casa a fase mata-mata do Campeonato Paulista, o 3 a 0 dá ao Palmeiras uma moral que não conseguia a tempos, e talvez anos. Logo nos primeiros minutos Robinho contou com a saída estranha de Rogério Ceni para fazer um golaço de primeira, e por cobertura, num chute espetacular que dava uma previa do que estava por vir.

Rafael Marques marcou duas vezes e decretou o resultado, o time do São Paulo ainda teve Toloi e Michel Batos expulsos durante a partida. A partir desta quarta-feira o Palmeiras não é o time em que Alexandro ''Mittos'' chegou para contratar 19 jogadores e vencer somente os pequenos paulistas e sim o time em que consegue, passo a passo, aos poucos se estruturar como elenco para disputar grandes títulos, talvez estes nem venham neste 2015, mas o fato é que o Palmeiras não é o mesmo de 2012, 2013 e 2014, o Alviverde mudou!


A ''Propina das propinas'' na ''Copa das copas''? O Mundial parece não ter saído ileso da corrupção brasileira


 Em tempos de crise, o Brasil tem mais um escândalo de corrupção para pôr em sua extensa e vergonhosa prateleira. Nesta segunda-feira, o Ministério da Justiça solicitou ao Corregedoria-geral da União (famoso CGU) uma abertura de auditoria para apurar as suspeitas de que a empresa alemã Bilfinger pagou propina a servidores e estatais no país para assim conseguir vantajosos contratos na Copa do Mundo de 2014. A empresa alemã de engenharia também afirmou estar investigando uma denúncia interna sobre o pangamento de propina.

A denúncia foi levantada recentemente pelo jornal alemão "Bild", onde foi afirmado que a Bilfinger desembolsou 20 milhões de euros de propina (cerca de 70 milhões de reais). O resultado dos ''favores'' foi conseguir contratos com o governo brasileiro por cerca de 21,2 milhões de reais em 2014. A Bilfinger presta serviços em território brasileiro para Petrobras (esta envolvida em escândalos monstruosos), Agência Nacional do Petróleo, Senado Federal e Anatel.

O valor recebido pela empresa alemã foi de 13 milhões de reais pelo fornecimento de 1,5 mil monitores e software para o Centro Integrado de Comando e Controle da Copa do Mundo. Segundo toda a propaganda que girava em torno da Copa, este sistema era considerado um dos principais ''legados'', pois permitia a centralização da operação de segurança.

A Bilfinger confirmou que empregados estão sob suspeita de terem pagado propinas no Brasil para ficar com os contratos, mas sugere que os valores seriam menores que aqueles revelados pelo ''Bild'' e apenas incluiriam um contrato de 6 milhões de euros.

"A Bilfinger recebeu informações internas no ano passado indicando que pode ter havido violações nos regulamentos de ética do grupo a respeito do fornecimento de monitores para os centros de segurança em grandes municípios brasileiros. A empresa imediatamente abriu uma completa investigação sobre o caso. A denúncia está ligada à suspeita de pagamento de propinas por parte de funcionários da Bilfinger no Brasil a funcionários públicos e funcionários de empresas estatais", declarou a empresa em nota.

Em resposta as denúncias do ''Bild'', em que funcionários da Fifa também estariam envolvidos no esquema de propina, a entidade se defendeu afirmando não ser de sua responsabilidade e que tais medidas de segurança eram organizadas pelo Comitê Organizador da Copa, ao lado do governo brasileiro. "Nem a Fifa nem seus empregados estiveram envolvidos em contratos de cidades-sedes ou do governo federal''.

Enfim, após tanta propaganda estatal em torno da Copa do Mundo, a competição vem se mostrando um fracasso fora de campo, pois não trouxe os benefícios prometidos a população, muitos estádios se tornaram os chamados ''Elefantes brancos'', outros terão que ainda passar por reforma e ainda deixa ''de saldo'' uma dívida imensa como o do Estádio Mané Garrincha(Brasilia), que não deverá ser pago em menos de mil anos. Se essa foi a Copa das Copas não quero imaginar as outras.

#CopadasCopas mesmo?

Flamengo vence o Vasco por 2 a 1 num bom clássico com direito a muita chuva e até confusão

Flamengo 2 x 1 Vasco
 O Clássico dos Milhões reuniu 56 mil torcedores no Maracanã para ver um bom jogo, foram 90 minutos em que aconteceu de tudo, temporal que deixou o gramado alagado, falha do goleiro, paralisação da partida por 50 minutos, declaração polêmica do presidente do Fla no meio do ocorrido, confusão em campo, quatro expulsões e muita rivalidade entre as torcidas que proporcionavam um verdadeiro espetáculo à parte e bateram o recorde de maior público do futebol brasileiro em 2015.

Com o Rio de Janeiro sendo castigado por São Pedro com muita chuva, o clássico começou equilibrado, ambos os times abusavam de entradas duras e não conseguiam desenvolver boas jogadas sem que a bola parasse numa poça. Naquelas condições não seria velocidade ou técnica que resolveria a partida e sim experiência para saber lidar com aquela situação. 

Experiência é algo que podemos afirmar que o Rubro-negro Alecsandro tem de sobra, são 34 anos e passagens por grandes clubes do Brasil, foi o atacante que se adiantou a bobeada do goleiro vascaíno Martin Silva em tentar rolar a bola com o gramado encharcado. Não deu outra, a água parou a bola no meio do caminho e o jogador mandou para o fundo das redes, antes que o zagueiro Rodrigo chegasse na bola ou que o goleiro uruguaio se posicionasse como queria no gol. 1 a 0 para o Fla aos dezessete minutos num jogo até então feio e muito truncado.

A partida recomeçou e a chuva aumentava cada vez mais, a drenagem do Maracanã não aguentava mais tanta água que caía e o gramado alagou, seria impossível a realização da partida. O juiz parou o jogo e demorou 50 minutos para a bola voltar a rolar, desta vez significadamente melhor. Neste intervalo ainda houve tempo do presidente do Fla, Eduardo Bandeira de Mello, dar uma declaração polêmica, afirmando não ver motivos para a partida não continuar e também que não iria dialogar com a federação carioca, demonstrando como a polêmica no inicio do ano fez mal para a relação entre FERJ e Fla(também Flu).

Voltando a partida, o Vasco resolveu permanecer até o último minuto possível no vestiário, aproveitando para se aquecer e também rever o que não estava certo na equipe. O resultado foi que o Cruzmaltino voltou a campo melhor que o Flamengo, com Bernardo no lugar de Dagoberto(contundido), o time ficou mais ligado e disposto a virar a partida. Acabou chegando ao empate aos vinte e oito minutos, quando após cobrança de escanteio e cabeçada de Gilberto, Julio dos Santos mandou para o fundo das redes.

O empate deixou o time vascaíno menos nervoso dentro de campo e ainda mais 'empolgado' em busca do 2 a 1. Canteros ainda teve uma ótima chance para o Flamengo mas desperdiçou e o domínio continuou com os comandados de Doriva.

A partida voltou do intervalo com o Flamengo diferente, com Everton no lugar de Gabriel, o time Rubro-negro não demorou para ficar novamente na frente do placar, Marcelo Cirino usou sua velocidade para escapar dos marcadores vascaínos e entrar na área, até ser derrubado por Guiñazu. Novamente Alecsandro balançou às redes, desta vez de penalidade com extrema categoria aos sete minutos do segundo tempo.

O gol mexeu com a partida, o Vasco tentava tomar iniciativa enquanto Luxemburgo postava o Flamengo para explorar contra-ataques com velocidade. O placar permaneceu em 2 a 1 até o apito final, mas antes ainda deu tempo de ter uma confusão, aos trinta e seis minutos, que resultou em quatro expulsões, duas de cada lado: Paulinho e Anderson Pico, do lado flamenguista, e Bernardo e Guiñazu, do lado vascaíno. Todo o desentendimento começou quando Paulinho fez falta em Bernardo, o vascaíno se revoltou com a falta do atacante flamenguista e a briga acabou envolvendo os alterados Guiñazu e Anderson Pico.

Com os três pontos na partida deste domingo, o Flamengo permanece na terceira colocação com os mesmos 26 pontos do segundo(Madureira) e quarto(Vasco) colocados. A liderança do Campeonato Carioca permanece com o Botafogo, que tem 28 pontos e o Fluminense se complica na quinta colocação com 22 pontos. A próxima partida do Flamengo será contra o Bangu, na quarta-feira às 22h, novamente no Maracanã. Já o Vasco visita o Boavista no Bacaxá, na quinta-feira às 16h.

Torcida Rubro-Negra sai mais feliz após o resultado do Maracanã e aproveita para provocar o Vasco, que não vence o Fla a dez partidas.

Barcelona vence o clássico contra o Real Madrid e abre quatro pontos de vantagem na liderança

Barcelona 2 x 1 Real Madrid
 Eles estão nas quartas de final da Uefa Champions League 2014/15, eles brigam ''palmo a palmo'' pela liderança do Campeonato Espanhol, eles são os protagonistas da Europa a um bom tempo, eles tem os dois melhores jogadores do mundo, quando eles se enfrentam os amantes de futebol param para ver. Barcelona e Real Madrid fizeram mais um clássico neste domingo 22/03, pelo Campeonato Espanhol, e quem levou a melhor foi o Barça.

O inicio de temporada mostrou um Real Madrid arrasador, recém campeão da Europa, o time merengue foi campeão do Mundial de Clubes e ainda da Supercopa Europeia, dominava o Campeonato Espanhol com sobras e ainda contava com um Cristiano Ronaldo insuperável. Chegou o ano de 2015 e o cenário mudou, o Barcelona de Luis Enrique começou a se entrosar e jogar o melhor futebol da Espanha, o time contou com a volta do ótimo futebol de Lionel Messi e ainda se classificou a final da Copa do Rei. 

O cenário se inverteu desde o primeiro ''El Clássico'' da temporada, nesta segunda oportunidade ficou com os três pontos o time que veio melhor nas últimas partidas. O jogo começou equilibrado no Camp Nou, ambos os times tiveram suas chances mas foi os donos da casa que abriram o placar com o zagueiro francês Mathieu de cabeça, após ótima cobrança de falta de Lionel Messi.

Dez minutos após balançar as redes, quando o Real Madrid tinha o domínio da partida, o Barcelona teve uma chance de ouro de fazer o 2 a 0. Suárez chutou cruzado e a bola sobrou para Neymar, que tentou dominar e acabou recuando para Casillas apenas encaixar. O goleiro espanhol repôs a bola em campo rapidamente e o Real Madrid partiu trocando passes, aos trinta e um Benzema recebeu a bola e tocou de calcanhar para Cristiano Ronaldo chegar de carrinho e empatar a partida.

O Real Madrid continuou no domínio do jogo e criando mais chances que o Barça, principalmente após o gol de CR7, que deixou os catalães perdidos em campo e se segurando para não levar uma virada.

Na volta do intervalo os merengues continuaram dominando o jogo mas sem conseguir o segundo gol, até que aos dez minutos Daniel Alves cruzou para Suárez, o centroavante uruguaio dominou com categoria e bateu cruzado para vencer Casillas e colocar o Barça na frente no placar, mudando o panorama da partida.

O Barcelona começou a criar ótimas chances com o trio formado por Messi, Suárez e Neymar e pouco sofreu com o 'atordoado' Real Madrid, que no final da partida já não tinha forças para ameaçar os donos da casa, que trocaram passes e a torcida aproveitou para gritar 'Olé'. 

Vitória do Barcelona no clássico que deixa o time na liderança isolada do Campeonato Espanhol, os comandados de Luis Enrique chegam aos 68 pontos, são quatro de distância para o Real Madrid, segundo colocado. No próximo domingo, o Barça visita o Celta de Vigo no Balaídos. Já o Real recebe o Granada no Bernabéu.

Michel Bastos marca aos 44 do segundo tempo e São Paulo vence o San Lorenzo

São Paulo 1 x 0 San Lorenzo
 Com o Corinthians disparado na liderança com nove pontos, São Paulo e San Lorenzo fizeram um jogo de ''mata-mata'', como o próprio Ganso definiu em entrevista antes da bola rolar, pois uma vitória seria fundamental. No primeiro minuto de partida Michel Bastos mandou uma bola na trave após ótima jogada que animou o torcedor são-paulino. A dinâmica, velocidade e técnica apresentada nos primeiros segundos iludiram, não passaram de uma demonstração do que este ótimo elenco pode fazer dentro de campo.

Após a tão comentada jogada, Pato sentiu o tornozelo e pediu para sair, o argentino Centurion entrou em campo dando mais velocidade ao time. Ao longo da primeira etapa o time se mostrou sem grande objetividade, sempre com jogadas pelo centro de campo e com a defesa adiantada para tentar pressionar, porém havia muito espaço para o time argentino criar suas jogadas ofensivas.

O time passou sufoco, a torcida idem, os argentinos chegavam com perigo aproveitando as falhas defensivas e pararam na trave. Após o intervalo o time deu uma melhorada, começou a criar mais chances de ataque que o San Lorenzo e aos dezesseis minutos uma falha do bandeirinha Humberto Clavijo que poderia ser fatal. Luis Fabiano cruzou rasteiro e Centuirón empurrou para as redes na pequena área, gol do São Paulo anulado de maneira irregular, o jogador argentino estava na mesma linha da marcação e não adiantado como apontou o auxiliar.

Em noite apática, Ganso deixou o campo e foi vaiado e xingado pela torcida do Tricolor Paulista. Curiosamente, logo depois da saída do meia, o São Paulo marcou o gol da vitória, do desabafo a tal crise que vem e vai a todo momento. Aos quarenta e quatro minutos, Carlinhos cruzou da esquerda e Michel Bastos se jogou na bola de cabeça para balançar às redes.

O próximo compromisso do São Paulo será no domingo, contra o Marília no Morumbi, pelo Campeonato Paulista. O time volta a entrar em campo pela  Libertadores somente no dia  1º de abril em Buenos Aires, novamente contra o San Lorenzo.