Blog do Celino Neto

Copa do Mundo de 2014 não melhorou a imagem do Brasil pelo mundo, segundo pesquisa

47 Flares Facebook 7 Twitter 39 Google+ 1 LinkedIn 0 Pin It Share 0 47 Flares ×

 Quando o Brasil foi o escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2014, as duas grandes promessas eram: Avançar a infraestrutura do país, beneficiando não só quem vai para o estádio mas como também o dia a dia do cidadão brasileiro; E melhorar a imagem do Brasil em todo o mundo, já que nosso país não é composto apenas de mulheres semi-nuas dançando, corrupção, pobreza e futebol, apesar de ter muitos destes fatores.

Dentro de campo tivemos uma Copa do Mundo extraordinária (Seleção Brasileira a parte), a melhor da história segundo muitos, entretanto não é sobre a Seleção Brasileira que fala o índice britânico Anholt-GfK de Marcas das Nações (NBI, sigla em inglês), e sim qual é a imagem internacional tem do Brasil. O país ficou em 21º lugar em 2014, entre 50 nações avaliadas pela força mundial, caindo uma posição em relação ao ano de 2013.

Mais de 20 mil pessoas em 20 países diferentes foram entrevistadas pela NBI, estas foram questionadas sobre suas percepções sobre as 50 nações presentes no ranking. As entrevistas foram feitas entre 10 e 28 de julho deste ano, então como a final foi no dia 13, muitos ainda estavam na euforia da grande competição.

O diretor do Índice, Xiaoyan Zhao, disse em entrevista a Agencia Brasil, que ”A pesquisa foi feita em países desenvolvidos e em desenvolvimento que desempenham importante e diverso papel nas relações internacionais, nos negócios, no turismo e nas atividades culturais. Eles foram selecionados na Europa, América do Norte, Ásia, América Latina, África e no Oriente Médio, de forma a garantir um balanço regional e de nível de renda”.

São vários pontos questionados pelo índice, separados em seis categorias. As categorias são: exportações, governança, cultura, apelo popular, turismo, imigração e investimentos. O Brasil perdeu posições em vários quesitos da pesquisa. No turismo passou de 13º em 2013 para 17º em 2014. No apelo popular, de 17º para 20º.

Ainda segundo Xiaoyan Zhao, graças a Copa do Mundo, as atenções foram voltadas ao Brasil e assim como a rica cultura, os problemas do país também foram conhecidas. A percepção de governança no Brasil foi a que mais caiu. Saiu de 24º em 2013, para 29º em 2014. Na dimensão cultural, o país melhorou, passando de décimo para nono lugar.

Zhao afirmou que a opinião sobre determinados países varia de acordo com a região “No caso do Brasil, o melhor desempenho é encontrado na América Latina. Entre os argentinos, o Brasil fica em 15º das 50 nações listadas no ranking. Entre os mexicanos, em 17º. Mas também fora da América Latina, o Brasil tem fortes mercados: na Turquia, por exemplo, fica em 15º lugar”, explicou o diretor do Índice.

Pela primeira vez em seis anos, o primeiro lugar no NBI não foi ocupado pelos Estados Unidos, a nação que mais influencia na vida dos cidadães pelo mundo, mas sim pela campeã do mundo Alemanha. Na opinião dos pesquisadores, a conquista da Copa do Mundo e a liderança exercida pelo país na Europa, são os principais fatores.

Confira abaixo a lista das 10 nações melhor colocadas no ranking:
1º Alemanha
2º Estados Unidos
3º Reino Unido
4º França
5º Canadá
6 º Japão
7º Itália
8º Suíça
9º Austrália
10º Suécia

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

47 Flares Facebook 7 Twitter 39 Google+ 1 LinkedIn 0 Pin It Share 0 47 Flares ×