Blog do Celino Neto

Presidentes de Flamengo e Fluminense se pronunciam sobre polêmica do suborno a Portuguesa

19 Flares Facebook 3 Twitter 15 Google+ 1 LinkedIn 0 Pin It Share 0 19 Flares ×

 Nesta quarta-feira, o ‘Estado de S.Paulo’ noticiou que o Ministério Público concluiu que a Portuguesa escalou o meia Heverton por conta de favores financeiros. Os holofotes foram para a dupla carioca Flamengo e Fluminense, clubes que foram diretamente afetados com a perda de pontos da Lusa. Em entrevista à ESPN Brasil, o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, negou qualquer participação do clube na polêmica e se diz a disposição das investigações.

“Não fomos chamados. Estamos à disposição se por acaso formos. Suponho até que o MP tenha utilizado esse mesmo raciocínio de que não existe a possibilidade de o Flamengo ter participado de suborno. Mas se quiserem falar com qualquer pessoa do Flamengo e recolher as informações necessárias estamos à disposição. É necessário até para acabar essa suspeita”, disse o dirigente rubro-negro.

Bandeira de Mello ainda argumentou que o rubro-negro não participou de qualquer tipo de armação, pois o clube entrou em campo no sábado, quando Heverton já estava relacionado e concentrado com a Portuguesa para a última rodada da competição, e antes da partida contra o Cruzeiro, o time não corria chances de rebaixamento e já estava tranquilo com a situação.

“O torcedor merece saber o que aconteceu no final do Campeonato Brasileiro de 2013. Mas vejo com estranheza o Flamengo ser colocado como suspeito pela imprensa. É fisicamente impossível o Flamengo ter participado de suborno. O jogador Heverton já estava relacionado e concentrado desde a sexta-feira, existe material farto sobre isso”, afirmou o presidente.

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, também nega qualquer tipo de participação do clube em um caso de suborno ao clube paulista. Segundo o dirigente tricolor, o Flu também é uma das vítimas do caso e apoia a investigação do MP.

“Ajudaria muito a esclarecer o caso e acabaria de uma vez por todas com a situação criada em que um dos maiores prejudicados foi o Fluminense. Passou por um período gravíssimo de ataques em redes sociais, internet e alguns jornalistas que faltaram com a verdade. O Fluminense na rodada anterior se colocou numa posição em que necessitava de uma combinação de resultados. Era impossível fazer um acordo com vários clubes ao mesmo tempo”, disse Peter Siemsen em entrevista à Rádio CBN.

Peter Siemsen foi questionado se colocaria a mão no fogo pela patrocinadora do clube, Unimed, isentando-a de qualquer tipo de participação no caso de suborno, o dirigente foi claro:

“Se você visse o estado do Celso (presidente da Unimed) pós-rebaixamento ia ficar impressionado. Foi de um abatimento que tivemos dificuldade em falar com ele. Ficou mais do que eu”, completou.

Uma dica que dou aos torcedores não só da dupla Fla-Flu, como também de todos aqueles clubes que brigavam contra o rebaixamento antes da última rodada… Não coloquem a mão no fogo pelos dirigente do seu clube, pois não será apenas a torcida da Lusa que irá sair decepcionada com seus dirigentes quando/se as investigações forem concluídas. 

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

19 Flares Facebook 3 Twitter 15 Google+ 1 LinkedIn 0 Pin It Share 0 19 Flares ×