Blog do Celino Neto

Ninguém é obrigado a pagar pela TV Cultura, qual o motivo de insistir no fracasso?

3 Flares Facebook 2 Twitter 1 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 3 Flares ×

TV-Cultura-Blog-do-Celino-Neto

A TV Cultura está em crise… A emissora estatal ‘sem fim comerciais’ está dando prejuízo, ou seja, como tudo estatal mal feito a conta vai para aqueles que pagam impostos, você! E após todo o coitadismo feito pela imprensa, eis que surge uma campanha ”EU QUERO A TV CULTURA VIVA!”, vejamos um trecho da noticia do site Virgula:

Nos últimos tempos, notícias de demissões em massa de seus funcionários e de encerramento de diversos programas da grade alarmaram o público. A situação levou à constatação de que a TV Cultura pode simplesmente desaparecer.

Até ai tudo bem, e se a TV Cultura desaparecer? Qual o problema? Ela é uma empresa e está dando muitos prejuízos, nada mais justo, é o mercado!

Para impedir isso, nasceu a campanha #EuQueroaCulturaViva, capitaneada por, entre outros, Luciano Amaral – o ator e apresentador que foi uma das “caras” da Cultura, estrelando os seriados Mundo da Lua e Castelo Rá-Tim-Bum nos anos 90.

Luciano é a principal voz de um vídeo que surgiu na internet no domingo (09/08), trazendo vários ex-apresentadores da TV Cultura denunciando o término de diversos programas da emissora. No total, 16 programas saíram do ar nos últimos anos, como Vitrine, Cocoricó, Zoom, Letra Livre, Cartão Verde

No vídeo, os apresentadores pedem que o povo entre na campanha e assine uma petição online, endereçada ao Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, ao Presidente da TV Cultura, Marcos Mendonça, e ao conselho curador do canal, pedindo que a emissora seja salva antes que seja tarde. A petição tem, até o momento (11/08), 70 mil assinaturas.

Que lindo, funcionários de uma empresa estatal falida e mal sucedida(é só verificar os índices de audiência), desesperados por estarem à beira do desemprego, querem continuar mamando nas tetas do estado sem precisar apresentar resultados minimamente aceitáveis, ou seja, audiência.

No trecho acima o Sr. Luciano Amaral ainda convoca para uma petição online endereçada ao Geraldo Alckmin e ao Marcos Mendonça, para ‘salvar a TV antes que seja tarde’. Um dúvida, o que seria salvar a TV? Mais dinheiro dos impostos para uma empresa falida? Obvio que sim!

Abaixo, declarações de Luciano Amaral no vídeo de ”apoio a TV Cultura”:

“Somos brasileiros e brasileiras, somos paulistas, somos de várias gerações que na infância, na adolescência e na idade adulta tivemos a oportunidade de ter acesso a uma programação – de rádios e de televisão pública – orientada pela promoção da cultura nacional e local. Conteúdos que ao longo de décadas foram produzidos por equipes formadas por profissionais (jornalistas, radialistas, artistas, técnicos) que buscavam a excelência. O resultado deste trabalho foi reconhecido nacionalmente e internacionalmente, com muitos prêmios e com uma audiência cativa que consolidaram historicamente as rádios e a TV Cultura de São Paulo como uma alternativa aos meios de comunicação comerciais”, diz o texto da petição.

“Contudo, nos últimos anos, a TV e as rádios Cultura estão passando por um processo de desmonte e terceirização da programação (…) Há a ameaça de acabar com o Viola Minha Viola, líder de audiência da emissora, e com o Provocações (…) Esse processo vem acompanhado de demissões em massa e de precarização das relações de trabalho, tanto na TV quanto nas rádios (…) o mais recente ataque à estrutura da TV foi a retirada do seu sinal das antenas parabólicas, excluindo 30 milhões de pessoas do acesso ao canal”, continua o texto.

Eheheeh, é bem possível que essas 30 milhões vão as ruas protestar pela volta da TV Cultura… Ironias a parte, esse pessoal todo que foi ”excluído” do acesso não sentiu nada, pois a audiência do canal hoje é insignificante.

Apesar do clima de tensão, a TV Cultura declarou em julho a alguns veículos que as recentes demissões ocorreram por causa do atual quadro econômico do Brasil, e que mesmo com os cortes a TV Cultura não sofrerá alterações na sua programação, e que todos os programas serão mantidos. O Virgula espera que isso realmente seja real, e que essa emissora que emocionou e criou tanta gente possa sobreviver à crise.

Declaração esquerdista/estatista do site Virgula à parte. Temos que lembrar, que mesmo se a emissora já foi algo ‘importante para as nossas infâncias’ hoje é um fracasso, e portanto a melhor forma de resgatar a TV Cultura é privatiza-la ou, se as concessões estatais forem um problema, deixe-a morrer! Criem outras formas de ‘resgatar’ a TV Cultura e sua história, fazendo um acervo online(em servidores onlines não pagos pelo dinheiro público) ou criar em serviços de streaming para atender esta baixíssima demanda, que com patrocínios de empresas privadas, podem salvar de maneira justa e principalmente limpa, sem intervenção estatal.

Leave a Reply

19 comentários sobre “Ninguém é obrigado a pagar pela TV Cultura, qual o motivo de insistir no fracasso?

  1. Vladimir Fontoura

    Uma Tv com nome de Cultura em um país de Celitos realmente não pode dar certo. Considerada a segunda melhor Tv Educativa do mundo merece um país sem Celitos….aliás, que nomezinho hein? E seu blog,sem nenhum comentário é o motivo de tanto ódio a Tv Cultura? rsss

    1. Celino Neto Autor da Postagem

      Caro Vladimir Fontoura, primeiramente olá meu nome é Celino, com No não To. E o problema da TV Cultura não é estar em ”um país de celitos” e sim sua baixíssima audiência e prejuízo enorme. Quem paga esta conta? Os cidadãos, que pagam impostos para sustentar esta TV que tem uma audiência pífia. Ódio da TV Cultura? Não, muito pelo contrário, passei minha infância assistindo o Castelo Ra-Tim-Bum por lá, me divertia, era bacana. Minha ‘implicância’ e não ódio, caro Fontouta, perdão Fontoura, é primeiramente: O estado está tendo prejuízo com esta TV, logo não há motivos para sustenta-la, é o mercado, simplesmente e puramente o mercado! Em nenhum momento critiquei a programação da TV Cultura, e sim seus prejuízos que vão parar no bolso do cidadão e não em um grupo de empresários. Por tanto caro Vladimir, não estamos em um país de Fontoutas, perdão Fonturas, e sim num mundo onde o mercado deveria prevalecer em questões simples deste tipo. Logo, aos fãs que assinaram esta petição pró-TV Cultura deveriam fazer doação voluntárias de seus próprio bolsos, até incentivo você que é fã de carteirinha da mesma à fazer, assim não precisando se aproveitar do estado para pagar as contas de algo que é um fracasso. Um abraço ao amigo de Porto Alegre e obrigado pelo comentário! E vamos torcer ”Por um mundo com menos celitos que pensam no mercado e mais fontoutas que pensam na cultura!” Perdão, Fontoura! ;D

  2. Pedro Bonfim

    Mais uma forma de taxar os roubados. os pagadores de impostos continuam sustentando as baboseiras que o estado quer, que raiva dar deste estatistas

  3. Jr

    Pelos menos eu vejo parte do imposto que eu pago sendo utilizado para um bem maior, a Educação e a Cultura. Fique com a globo, essa emissora sim, globo, record, rede TV, essas são ótimas para aumentar o nível cultural do povo brasileiro! Affff!

    1. Celino Neto Autor da Postagem

      Primeiramente Boa Tarde e obrigado pelo comentário Jr. Ser contra pagar a conta da TV Cultura, uma emissora falida que precisará de uma ”alta injeção de dinheiro estatal”, não significa ser a favor das porcarias que você citou, como Globo, Record, Rede TV entre outros. Mas se o mercado brasileiro opta por estas emissoras, não é papel do estado sustentar um canal que uma parte insignificante da população(falo numericamente insignificante) assiste e ainda por cima dá prejuízo, que não consegue, pelo menos, ser ‘auto-sustentável’. Não gosto de obrigar ninguém a ‘aumentar seu nível cultural’ mas se pode fazer isto sem ajuda do estado, e é ainda melhor sem a ajuda do mesmo. Abraço, novamente obrigado pelo comentário e também pelo Affff. 😀

    2. Laura Fernandez

      Por isto não assisto Jr, tudo porcaria, inclusive a TV Cultura, que só passa besteira, fico com meus livros e a internet. a televisão brasileira é só besteira

      1. Luiz Antonio Pedrotti

        Vejo com ironia o nível cultural de certas pessoas ao afirmar que na TV CULTURA só passa besteira. Om certeza deve ser mais um daqueles que só vivem em função do senso comum, só curtem modâo merdanojo, funk, entre outros lixos culturais. Eis porque o Brasil é o país dos miseráveis e arrogantes.

        1. Celino Neto Autor da Postagem

          Concordo que a TV Cultura não ”passa só besteira”, mas discordo do perfil traçado por você daqueles que afirmam isto. Outro fator que concordo com seu comentário Luiz Antonio, é que o Brasil é um país de miseráveis(intelectualmente, e também socialmente), tanto que adoram um Estado gigantesco e querem que o mesmo dê direitos e ‘facilidades’ pensando que o dinheiro estatal cai do céu… Fruto do populismo barato vendido por aqui. Enfim, como diria Milton Friedman ”Não existe almoço grátis”. Abraço e muito obrigado pelo comentário Luiz Antonio! 🙂

  4. Atma Salles

    Olá Celino Neto !
    * TV cultura não é estatal, é uma Fundação sem fins lucrativos, a Fundação Padre Anchieta. É mantida por recursos públicos, e isso evidencia a fragilidade de entidades do Terceiro Setor que dependem exclusivamente de recursos públicos.
    * No dia 30 de Janeiro de 2015 ( ou seja, ainda este ano ), TV Cultura foi eleita o segundo canal de maior qualidade do mundo pelo Instituto de pesquisa britânico Populus.

    – O fato de nossos impostos não serem bem administrados ( até porque para ser político não se exige qualificações como qualquer profissão, ou seja, para ser gestor público apenas votos de um público em sua maioria sem cultura política ..) , não significa alimentarmos uma espécie de pensamento = ” não toque mais em meu bolso, nem que seja para boas ações ” !
    – O fato da audiência estar baixa não pode ser a única indicação, ou pelo menos o principal motivo para decretarmos o sepultamento da TV Cultura, até porque pessoas sem cultura adoram excessos de entretenimento, informações sensacionalistas, fofocas, enfim, o quadro e cenário mais fiel desta mentalidade cultural do povo brasileiro são expressos na qualidade das programações dos Domingos… Em suma, quantidade de audiência não pode ser o único motivo para programações existirem… E são poucos ainda no Brasil que valorizam a cultura, a qualidade.
    – Por isso o Terceiro Setor, sem fins lucrativos, ainda pode ser muito útil para fortalecer a luta dos que acreditam em qualidade acima da quantidade.

    – Podemos ajudar sim, pois o governo possui uma parte para executar, e nós da sociedade civil, outra ! Se a TV Cultura é reconhecida internacionalmente por sua qualidade, porque não ajudarmos a manter no ar um veículo, uma ferramenta para propagação da cultura, da educação sem vínculos com lucro, com interesses e foco na quantidade da audiência em detrimento da qualidade das informações no auxílio do discernimento, da emancipação intelectual do povo brasileiro……..até porque a educação no país esta em crise.

    Ok Celino, concordo em não sermos sentimentalistas demais, recordando da cultura de nossa infância, mas não concordo com excessos de frieza, pois a TV se encontra praticamente em todos os Lares brasileiros, e uma TV avaliada com esta qualidade pode contribuir para enriquecer a cultura e reflexões de nosso povo.
    Por que não tentarmos ?
    Fiquei indignado com a mentalidade disseminada neste artigo = É assim mesmo…. Se o governo não faz, nós é que não vamos fazer …. Não toque em meu bolso …..
    Em épocas de baixa qualidade em “tudo”, nos conformarmos com a perda de um recurso com tanta qualidade e importante como TV Cultura, é o fim do mundo !!
    Atma Salles

    Parte 2:
    Adicional….
    Terceiro Setor, ou seja, entidades sem fins lucrativos, não são mensuradas pelo lucro financeiro, mas pela contribuição e ajuda para sociedade. Avaliar lucros e prejuízos com mentalidade do Segundo Setor, onde o foco na maioria das vezes é o lucro, não acredito ser o mais adequado.
    – TV Cultura não precisa ter quantidade de telespectadores, mas sim disponibilizar informações de nível para um público que deseja, que ainda possui esperanças em obter informações de qualidade, sem segundas intenções, incluindo a do lucro, a de uma audiência lucrativa.
    – Interpretar como prejuízo manter uma TV de cultura, umas das únicas emissoras que se salvam em TV aberta, é uma visão do Segundo Setor, com foco em lucratividade, pois a missão do Terceiro Setor é ajudar quem precisa, e no caso da TV Cultura, quem deseja. A avaliação não é de dinheiro e sim de qualidade cultural e educacional.

    – TV Cultura nos serve, nos ajuda, e cabe a quem deseja contribuir para mantermos educação e cultura disponíveis em nossa TV aberta.
    Sinceramente argumentos contra cultura me mobilizam, e por isso fui extenso em compartilhar um pouco de minha visão …
    Atma Salles

    1. Celino Neto Autor da Postagem

      Atma Salles, coloquei seus dois comentários em um só para facilitar ao leitor. E primeiramente obrigado pelo comentário, sei que abordar este assunto é sempre ”polêmico”, pois desperta aquele ‘ar-humanitário’ em muitos. Concordo com alguns de seus argumentos, principalmente quando se refere à pobreza cultural da programação da TV brasileira e da necessidade de uma emissora como a TV Cultura.
      Não defendo o fim da TV Cultura, mas sim uma mudança na mesma, deixando de ser uma entidade sem fins lucrativos para gerar sua própria renda e assim tentar se manter como qualquer empresa, sem ajuda estatal e do dinheiro público, entrando num competitivo mercado.
      Outra discussão entra em pauta é sobre o papel do Estado, particularmente acho que, mesmo sendo uma programação de primeira qualidade, elogiada mundialmente, não é dever do Estado sustenta-la. A educação brasileira está em crise, sem dúvidas que sim, não vemos nada de ‘Pátria Educadora’ no dia-a-dia das escolas, porém a TV Cultura não é um colégio, e o público jovem que precisam de cultura está longe de ser a audiência da própria TV Cultura. Discordamos justamente no ponto de quanto o Estado em si é responsável por se manter presente em outros setores longe ”do fundamental”(que na minha visão é segurança, saúde e educação). Repito, a ‘falência’ da TV Cultura é o resultado da ‘falência’ intelectual e cultural do brasileiro em geral, tenho certeza que se tivéssemos uma educação de primeira linha no país a audiência seria diferente.
      Hoje, com todo o respeito que a emissora merece, o papel dela é muito, mas muito mesmo, pequeno na sociedade… Como mudar isso? Mudando os métodos e a qualidade do ensino brasileiro. Quando tempo levaria? Analisando a situação brasileira, o cenário é o mais pessimista possível. Mas hoje, particularmente, não acho a TV Cultura útil(numericamente, falando da massiva população brasileira) então manter a mesma é mais um dos prejuízos que o Estado adora alimentar. Primeiro vem a Educação nas escolas e depois uma TV educativa e não o contrário, não adianta dar um livro de história para quem não quer aprender e se recusa a ler.
      E por último, existem vários outros métodos da TV Cultura se manter, primeiramente com a doação de seus telespectadores, segundo migrando para outras mídias onde não precise de dinheiro estatal. Finalizando, não adianta manter uma sala de cinema com um filme de primeira qualidade se ela está vazia, por mais que o filme seja ”lindo, humanitário e educativo” o mercado não permite, e isso vai custar caro para alguém, no caso o dono do cinema(e ainda bem, pois os prejuízos da inciativa privada, são da iniciativa privada e não como os do Estado, que vão para o bolso da população).
      Finalizando esta longa resposta, é sempre um prazer ter pessoas sérias e dispostas a dar sua opinião neste blog, abraço e obrigado por enriquecer o debate neste espaço! 🙂

  5. Welbi Maia Brito

    O corte de gastos na TV Cultura é decorrente da atual situação econômica do país, que enfrenta uma grave crise. Enquanto a sociedade clama ao órgão públicos por mais eficiência e menos gastos, um pequeno grupo se manifesta pelo contrário. A TV Cultura manté a qualidade em sua programação. Tanto é que concorre a 3 prêmios internacionais. Só no ano passado, ela recebeu R$ 101,2 Milhões do Tesouro do /estado. Os que estão gritando é porque perderam sua boquinha ou estão sendo manipulados por falsas informações. A TV Cultura não vai acabar ou perder sua qualidade. Viva a TV Cultura!!!

  6. Iverson Farias Costa

    LI os argumentos de vários lados nessa questão para tentar formar um caldo de ideias apropriado. Boa parte das pessoas tende a concordar ou discordar das coisas. É uma abordagem válida, mas nunca gera reflexão e crescimento pessoais, por isso eu descarto para mim essa forma de pensar: Prefiro formar minhas opiniões. Vi diversos textos falando da importância da TV Cultura, e busquei esse texto para ter um contraponto. Esse texto está dizendo que ela realmente deveria ser extinta pois não traz audiência, e consequentemente não gera lucro. Em contabilidade existe um conceito chamado “Ativo Intangível”. Ativo intangível são ativos que não tem “Existência Física”, e por isso são difíceis de mensurar. Conhecimento, por exemplo, é um Ativo Intangível. Você não mensura conhecimento. Você não pode dizer que tem 3 quilos ou dois metros ou 3 anos de conhecimento. Mas não é por que ele não é mensurável, que ele não tem valor. Todos aqui sabem que conhecimento tem valor. Eu pergunto: Qual é o valor de ter-se uma das melhores programações do mundo? Isso leva anos de pesquisa e estudo para construir. Deveríamos estar discutindo sobre como levar isso para as pessoas e como tornar isso rentável: Isso é o que um Capitalista visionário faria. Esse é o mundo do VALOR, não o mundo dos CUSTOS. A TV Cultura é um dos poucos “Diamantes” que restam no Brasil. Outro exemplo é a Embrapa. Sim, estou comparando TV Cultura com Embrapa, pois ambos tem Excelência no que fazem. Duvido que a Embrapa gere muito lucro individualmente. Mas o que a Embrapa faz gera MUITO lucro através da Cadeia de Valor do Agronegócio. O que poderíamos fazer com a TV Cultura? Como seria uma geração de crianças que tivesse acesso ao conteúdo Educativo de qualidade ao invés de desenhos pouco Instrutivos dos canais abertos? Estamos falando de PESSOAS aqui. Estamos falando de formação INTELECTUAL. Senhores, isso tem um valor INESTIMÁVEL. Talvez a TV Cultura precise apenas de investimento em Marketing.

    1. Celino Neto Autor da Postagem

      Primeiramente obrigado pelo comentário Iverson e respeito muito sua opinião, em resposta a outros comentários já afirmei a importância da TV Cultura, mas é como eu também já disse, não adianta manter uma sala de cinema aberta com um ótimo filme, sendo que a mesa está vazia. Sobre a importância cultural, as crianças cada vez mais deixam a TV de lado e migram para outras meios como a Internet, inclusive as mais carentes, porque não a TV Cultura migrar para outro meio que dê menos prejuízo ao Estado? Pois não adianta ter uma das melhores programações do mundo se numericamente sua audiência é insignificante, é o mesmo que dar uma aula para ninguém e ainda cobrar por isto, e cobrar caro!
      Então entendo a importância da TV Cultura, mas a maioria dos brasileiros simplesmente a ignoram, e duvido muito que apenas um investimento em Marketing resolva isto. Pois hoje, o brasileiro prefere consumir uma programação totalmente diferente daquela oferecida pela TV Cultura, não por falta de conhecimento que existe a emissora e sim por preferência. Como se resolve? Somente à longo prazo, investimento em educação, na formação de jovens com mais vontade de aprender do que ganhar curtidas em sua foto no Facebook. Infelizmente a realidade é essa, não adianta manter um diamante de primeira qualidade em sua vitrine se ninguém quer compra-lo. Entendo a importância da TV Cultura na formação intelectual, mas acho que existe diversas outras maneiras de adquirir conhecimento, para todas as classes, e quem busca este conhecimento consegue achar, não na TV, pois o público da TV brasileira prefere não ”consumir conhecimento”. Abraço e mais uma vez obrigado por colaborar na troca de ideias neste espaço! 🙂

      1. Alexandre Jean

        Os dois tem razão em suas afirmações …. o problema é chegar em um consenso… pois até alguns anos atrás…se falava em impor uma porcentagem de canais e programas nacionais nas Tvs por assinatura.

    1. Celino Neto Autor da Postagem

      Coxinha, Reaça, Viúva da Ditadura, Fascista, Golpista, Playboy, Tucano, Racista, Machista, Elite-branca-paulista(mesmo sendo Nordestino já fui incluído nesta, acredite)… Já estou calejado desses adjetivos caluniosos e patéticos. Mas de qualquer maneira obrigado pelo comentário! 😀

  7. Eduardo

    Lamento como telespectador das grandes produções até os anos 90.Porém como cidadão não concordo que o dinheiro público seja usado num ambiente onde prevalece interesses pessoais “cabide de emprego”. Lá os funcionários garantem : “ainda bem que nossos salários não passa nas mãos da direção, se não haveriam atrasos certamente”. Querem continuar nessa acomodação. Tem salas que dentre quatro pessoas três tem cargos de chefia.Sou contra qualquer investimento nessas condições.Dinheiro mau empregado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

3 Flares Facebook 2 Twitter 1 Google+ 0 LinkedIn 0 Pin It Share 0 3 Flares ×